O QUE A EPIDEMIA DO ZIKA VÍRUS ESTÁ ENCOBRINDO ?


O que a Epidemia do Zika Vírus Está Encobrindo?

Correlação não significa causalidade. O Zika vírus está sendo usado como bode expiatório para efeitos adversos perigosos da indústria farmacêutica?
O mundo da medicina moderna tem desde o seu início sido uma das controvérsias, escândalos e encobrimentos. Cada um desses episódios tem melhorado o outro e é feito com uma finesse que parece claramente criminoso na intenção. O episódio do vírus Zika é um dos melhores exemplos disso e esconde uma agenda muito cruel por trás dele.
Em 01 de fevereiro de 2016, a OMS declarou a epidemia de Zika vírus uma emergência de saúde pública global. Isto foi antes mesmo de ser formalmente transmitida em uma reunião por Skype em 02 de fevereiro. O que causou essa urgência? A OMS alegou que o Zika vírus tinha causado uma epidemia de microcefalia em torno de 4000 crianças brasileiras que foram afetadas desde outubro de 2015. A microcefalia é uma condição onde as crianças nascem com um crânio de tamanho pequeno e, por vezes, com cérebros subdesenvolvidos.
Os especialistas alertaram que o vírus estava se espalhando rápido e a América Latina estava ameaçada. Em pouco tempo, casos foram relatados de transmissão através de sexo nos EUA, concretizando a narrativa oficial sobre a "propagação feroz" do vírus. No Reino Unido, o público foi lembrado que o vírus era apenas um plano distante. A Irlanda aconselhou o uso do preservativo. O Zika também foi ligado a um tipo de paralisia chamada síndrome de Guillain-Barré, uma desordem auto-imune em que o corpo ataca suas próprias células nervosas. A OMS colocou o Zika na mesma categoria que o Ebola; ambos pertencem à mesma categoria de uma família de vírus designada Flavoviridae. A prioridade, dizia-se, era proteger as mulheres grávidas e bebês de danos.
Mesmo antes desta declaração feita pela OMS, em 22 de Janeiro, o Governo do Brasil foi com força total para conter a epidemia. O ministro da Saúde solicitou que as mulheres evitem a gravidez, pediu às mulheres grávidas para solicitar aos médicos um check-up, e empregou 200.000 soldados em uma unidade de pulverização para matar os mosquitos. As mulheres grávidas ficaram de coração partido no país. Muitas consideraram abortar e algumas até mesmo foram em frente e realizaram abortos ilegais, uma vez que abortos não são legais no país. A mídia estava alinhada com as notícias e todos os canais de TV e mídia impressa destacaram esta crise global. Os especialistas sugerem que os mosquitos geneticamente modificados utilizados contra a dengue no Brasil também devem ser usados contra o Zika como vetor, a variedade de Aedes aegypti foi a mesma.
Em um debate de saúde pública no canal de TV France 24 em 26 de janeiro, no entanto, os especialistas foram cautelosos. Através de sua linguagem corporal e escolha cuidadosa de palavras eles opinaram que a epidemia talvez não fosse tão séria. O Brasil estava, provavelmente, tendo uma reação exagerada à crise, uma vez que seria sede dos Jogos Olímpicos, em agosto de 2016 e também os Jogos Paraolímpicos, em setembro. É claro que tinha que mostrar ações para provar que medidas fortes estavam sendo tomadas para conter a epidemia. À medida que se tornou mais e mais desconfortável lidar com o assunto da entrevista, o Zika vírus, o âncora questionou se este era outro susto da gripe suína, que levou ao estoque da vacina em todo o mundo e que teve que ser destruída após levar a enormes prejuízos para os governos e lucros para o fabricante. Um especialista em seguida, admitiu que medidas de senso comum no ponto de origem foram geralmente o suficiente para conter a propagação de doenças transmitidas por vetores.
Conforme a histeria aumentava, o Ministro da Saúde da Índia convocava uma reunião extraordinária para discutir a resposta da Índia para a situação de emergência da saúde pública e a OMS prevendo uma carga global de doenças de 4 milhões de pessoas com surtos em 20 países, a informação crucial começou a surgir na mídia independente que chocou pessoas bem instruídas e educadas em todo o mundo. Havia algo de muito errado na maneira como a OMS, os governos, outras agências médicas e a mídia disseminaram a questão.
O Zika vírus foi descoberto no ano de 1947 pela Rockefeller Foundation, quando foi isolado a partir de macacos da floresta Zika em Uganda em um laboratório. Desde então, a Fundação detém a patente deste vírus. O primeiro caso humano detectado no ano de 1954 foi encontrado por causar uma forma muito leve da doença envolvendo febre baixa, corpo dolorido, dor de cabeça e uma erupção leve em muito poucas pessoas. Os demais não apresentaram quaisquer sintomas. Os sintomas foram resolvidos em poucos dias. Antes de 2007, apenas 14 casos foram registrados. Embora uma propagação maior foi registrada na Polinésia Francesa, em 2014 (338 casos) ninguém levou o vírus a sério. Então o que mudou em 2015? Por que 4.180 bebês nasceram com microcefalia no Brasil? E sobre os casos de Síndrome de Guillain-Barré? Estes nunca foram associados com o Zika desde sua descoberta há quase 70 anos.
Os especialistas no campo da genética observaram algo muito curioso. O Zika vírus atualmente emergiu exatamente daquelas áreas onde os mosquitos transgênicos foram lançados em 2015 para conter a dengue! Os mosquitos foram liberados por uma empresa chamada Oxitec em colaboração com a Fundação Bill & Melinda Gates (BMGF). Poderia um vírus ter sido substituído por outro?
Quando o Brasil começou a examinar os 4180 casos de microcefalia mais surpresas surgiram. Foi feito um alerta através de uma circular para relatar que os casos de microcefalia pediátrica no país tinha claramente excedido sua média. Ter pequenos crânios não é incomum no Brasil. Assim como em 4 de fevereiro apenas 404 desses casos foram confirmados serem microcefalia. Pior, o vírus Zika foi encontrado em apenas 17 deles!
859b
Em outras palavras, apenas 4,2% dos casos de microcefalia no Brasil demonstraram que têm qualquer conexão com o Zika. Isso significa que 96% dos casos microcefalia não têm nenhuma ligação com o Zika. Não era, evidentemente, nenhuma epidemia, e o papel do Zika vírus é severamente questionado. E, no entanto, a OMS passou à frente com a declaração global de emergência de saúde pública. Mais uma vez, por quê?
O que pode causar microcefalia? De acordo com textos médicos, a doença pode ser genética, fusão de suturas dos ossos (lacunas) do crânio impedindo o crescimento do cérebro, devido a complicações na gravidez ou transmissão falha, conducentes à privação de oxigênio no cérebro, exposição à drogas, álcool ou produtos químicos tóxicos no útero, infecções no útero, devido ao vírus da rubéola ou varicela, etc, desnutrição severa, incapacidade do corpo de eliminar um produto químico, e qualquer outro afronta ou lesão. Os pesquisadores começaram então, a investigar o que poderia ter acontecido com as mães grávidas durante a gravidez.
O Brasil é um país que é imprudente no uso de pesticidas em seus campos agrícolas. Muitos deles são proibidos e estão ligados a defeitos congênitos (defeitos de fetos no útero). O Brasil também cultiva as plantações transgênicas e utiliza o perigoso herbicida glifosato que também tem sido associado a defeitos de nascimento em experimentos com animais de laboratório. Combinado com desnutrição galopante em mulheres brasileiras, o envenenamento por pesticidas e herbicidas foi uma mistura mortal. A agência por trás de empurrar os cultivos transgênicos no Brasil foi novamente a Fundação Bill & Melinda Gates (BMGF).
Ao investigar os procedimentos dirigidos às mulheres grávidas no ano de 2015, fatos chocantes surgiram. Agindo de acordo com uma decisão da OMS para injetar mulheres grávidas com vacinas, apesar das contra-indicações, o governo brasileiro permitiu que suas mulheres grávidas se tornassem o equivalente a cobaias. Além das vacinas contra o tétano (fornecida como vacinas contra Difteria e tétano), as mulheres também receberam a vacina contra sarampo, caxumba e rubéola (SRC) durante a gravidez. O que é pior, uma vacina DTaP foi obrigatória para as mulheres grávidas em 2014. Citando uma escassez da vacina DTaP, a vacina DTP altamente reativa também foi administrada. Claramente riscos enormes tinham sido infligidos às mulheres inocentes. Nenhuma dessas vacinas são conhecidas por serem seguras durante a gravidez e a SRC e as vacinas DTaP / DPT são falhas que não podem ser toleradas. O vírus da rubéola na vacina SRC e o componente pertussis da vacina DPT são conhecidos por causar microcefalia. Só nos EUA, onde a DTaP é administrada a mulheres grávidas, 25000 casos de microcefalia são prováveis que ocorram a cada ano.
A iniciativa da vacina DTaP para vacinar mulheres grávidas foi financiada por fundos da Fundação Bill & Melinda Gates (BMGF). A BMGF também financia fortemente os programas de vacinação em países em desenvolvimento por meio de sua financiada aliada, a GAVI, que recebe o segundo maior financiamento da BMGF. A Fundação Bill & Melinda Gates está, portanto, coincidentemente relacionada com tudo o que poderia ter dado errado em toda a situação. A organização também é a terceira maior doadora à OMS, a qual declarou estado de emergência com enorme urgência. Se uma vacina para prevenir o Zika emerge e os mosquitos transgênicos são liberados em todo o mundo para conter o Zika, a beneficiária seria, mais uma vez, a BMGF. Que coincidência não! Se os mosquitos transgênicos, herbicidas, pesticidas e as vacinas ligados à microcefalia em crianças podem ser encobertos sob o pretexto do Zika, a beneficiária, mais uma vez seria a BMGF que não seria questionada por suas falhas ao mesmo tempo que continuaria a ganhar com esses empreendimentos perigosos.
No futuro podemos esperar que o Zika seja culpado por mais e mais condições do que a mera presença do vírus que está sendo ligado a doenças e condições do paciente. Isto é como culpar os bombeiros presentes no local do incêndio pelo fogo, já que eles estão sempre presentes onde há um incêndio! Chamado de "correlação não significa casualidade", este princípio não está sendo aplicado aqui por razões óbvias. Tem que haver bodes expiatórios para efeitos adversos perigosos da medicina. Seria maravilhoso se esses bodes expiatórios pedissem outras intervenções que resultem em mais negócios e mais lucros. Já há um pedido para legalizar o banido DDT como um repelente de mosquitos.
Assim, antes mesmo da emergência ser declarada, a verdade está lá fora. Não há nenhuma epidemia. O Zika vírus não é o culpado. Tem havido um encobrimento para crimes de imensa proporção desde o início. Um mercado inteiramente novo foi aberto para a fabricação de medicamentos e vacinas e as agências de pesquisa receberão financiamento suficiente para "descobrir" uma falsa ligação. Haverá provavelmente uma vacina para uma desordem causada pela vacina. A vacinação de mulheres grávidas pode continuar por todo o mundo com a culpa sendo deslocada para os efeitos adversos do Zika vírus. Os países que se opõem ao aborto serão solicitados para enquadrarem-se às leis para legalizá-lo. As mulheres grávidas temerão os abortos e ficarão longe de sexo. A vacinação em larga escala de adultos se tornará obrigatória abrindo novos mercados enquanto o mercado de vacinação infantil que está ficando saturado.
A medicina moderna ganhou em todo esse episódio, já que assim ela mais uma vez foi capaz de expandir seus mercados, e encobrindo suas atividades criminosas, sua agenda de depopulação, e fortaleceu o medo da doença nas populações. O homem comum perdeu sua liberdade familiar e escolhas, saúde, e agora está com medo de um inimigo imaginário.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

KITS HOMEOPÁTICOS-A FARMÁCIA HOMEOPÁTICA EM CASA OU EM VIAGENS

FEBRE AMARELA - MEDICAMENTOS HOMEOPÁTICOS E SUA UTILIDADE

HOMEOPATIA NO TRATAMENTO DA DENGUE E OUTRAS VIROSES AGUDAS - SAIBA TUDO SOBRE PREVENÇÃO E COMBATE AO VÍRUS TRANSMITIDO PELO MOSQUITO AEDES AEGYPTI,ZIKA,CHIKUNGUNYA